Sporting de Braga confirma buscas da PJ

Em causa alegados esquemas de corrupção nos patrocínios celebrados com a Turismo do Porto e Norte de Portugal

A Polícia Judiciária (PJ) esteve na SAD do Sporting de Braga para recolher informação sobre o contrato de patrocínio celebrado com a Turismo do Porto e Norte de Portugal, confirmou o clube minhoto.

Em causa, segundo uma notícia do Correio da Manhã, estão alegados esquemas de corrupção nos patrocínios celebrados por aquela entidade, gerida por Melchior Moreira, e visará tabém a SAD do Vitória de Guimarães e empresas públicas, como câmaras municipais.

Perante o pedido da PJ, "o Sporting de Braga confirmou a existência de tal contrato, que aliás foi publicamente oficializado, partilhou a documentação existente e prestou à Polícia Judiciária a sua total colaboração", pode ler-se num comunicado no sítio oficial dos 'arsenalistas'.

"Tal como é público, o clube celebrou com a Turismo do Porto e Norte de Portugal um contrato de patrocínio com vista à promoção do país em Madrid, onde a equipa de futsal disputou, em novembro passado, a ronda de elite da UEFA Futsal Cup", tendo o Sporting de Braga recebido "em troca desta associação para presença da marca nas camisolas que o clube envergou na competição, o valor de 15 mil euros (IVA incluído)".

O Sporting de Braga garante ainda que esta foi "a única relação contratual existente entre as duas entidades" e que "toda a informação sobre a mesma foi disponibilizada".

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.