Soares e Sampaio condecorados com a Ordem de Timor-Leste

Presidente Taur Matan Ruak exprimiu "profundo reconhecimento" pelo apoio dos portugueses à independência de Timor-Leste.

O Chefe do Estado timorense agraciou esta sexta-feira, em Lisboa, os ex-presidentes Mário Soares e Jorge Sampaio com o Grande Colar da Ordem de Timor-Leste pelo seu contributo para a autodeterminação de Timor-Leste.

Taur Matan Ruak disse que as condecorações traduzem "o profundo reconhecimento pelo humanismo, as inúmeras expressões de solidariedade e o apoio ativo" com que Mário Soares e Jorge Sampaio "alimentaram a luta pela liberdade, autodeterminação e independência de Timor-Leste".

Jorge Sampaio, emocionado com o "altíssimo privilégio" concedido pelas autoridades de Timor-Leste, considerou que a atribuição do Nobel da Paz (1996) aos timorenses Ramos Horta e D. Xímenes Belo foi decisiva e também se "tornou uma referência obrigatória para todos os movimentos empenhados" na causa dos direitos humanos.

Primeiro presidente português a visitar Timor-Leste como país independente, Jorge Sampaio realçou a "sólida amizade e grande afeto que liga" portugueses e timorenses e homenageou o "lutador incansável" que foi José Ramos Horta.

O antigo presidente disse ainda a "grande honra" que foi ter encerrado o seu segundo mandato como chefe do Estado português com uma visita a Timor-Leste, onde Xanana Gusmão lhe concedeu o estatuto de cidadão honorário do mais novo país de língua portuguesa.

Além de Sampaio e Mário Soares, que esteve representado pelo filho, João Soares, Taur Matan Ruak agraciou ainda figuras portuguesas como Carlos Gaspar e Arnaldo Cruz, além de timorenses (alguns a título póstumo) e um norte-americano com outros graus da Ordem de Timor-Leste.

Na cerimónia em que participou o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, estiveram também presentes D. Ximenes Belo, Adriano Moreira, Carlos Monjardino, os jornalistas Adelino Cunha e José Pedro Castanheira ou o antigo repórter e ex-assessor presidencial João Gabriel.

Taur Matan Ruak enalteceu em especial o papel de Sampaio como "ativista da causa de Timor-Leste bem antes de ser chefe do Estado" e agradeceu a "solidariedade genuína" expressa pelos portugueses aos timorenses durante os 24 anos de luta contra a ocupação indonésia.

Exclusivos