Registadas quase 178 mil infrações de excesso de velocidade

Entre junho de 2016 e 31 de dezembro de 2017, o Sistema Nacional de Controlo de Velocidade registou, através de 30 radares móveis, 177.745 infrações por excesso de velocidade

O Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO) registou perto de 178 mil infrações desde que entrou em funcionamento há cerca de um ano e meio, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2017.

O SINCRO é o sistema para deteção automática da infração de excesso de velocidade, sendo composto por 30 radares móveis que são instalados em 50 locais considerados críticos.

O primeiro dos 30 radares do SINCRO entrou em funcionamento a 06 de julho de 2016 e foi instalado na autoestrada A5, que liga Lisboa e Cascais, mas só em julho de 2017 é que começaram a ser explorados na totalidade.

O RASI adianta que, entre junho de 2016 e 31 de dezembro de 2017, o SINCRO registou 177.745 infrações por excesso de velocidade.

Das 177.745 infrações, 92.647 foram leves, 82.359 graves e 2.739 muito graves, segundo o RASI, que cita dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

Os 30 radares de controlo de velocidade não são fixos, sendo instalados nas 50 cabines segundo um sistema rotativo previamente definido. Os condutores são informados da presença dos radares através de um sinal de trânsito.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.