CDS compreende ataque mas está preocupado com "escalada de violência"

"É desejável que, no quadro das Nações Unidas, seja encontrada uma solução o mais rapidamente possível", disse João Almeida, porta-voz do partido

EM DIRETO: TUDO O QUE SE PASSA NA GUERRA NA SÍRIA

O porta-voz do CDS-PP, João Almeida, disse hoje que o partido compreende os ataques desta madrugada a alvos associados à produção de armas químicas na Síria, mas manifestou preocupação com a escalada de violência no país.

João Almeida defendeu que deve ser encontrada uma solução no quadro das Nações Unidas.

Os Estados Unidos, a França e o Reino Unido realizaram hoje de madrugada uma ofensiva com mísseis contra três alvos associados à produção e armazenamento de armas químicas na Síria

"Estamos preocupados com a escalada de violência e condenamos a utilização de armas químicas e, tal como já disse o Presidente da República, compreendemos a posição e a intervenção dos aliados e consideramos que é desejável que, no quadro das Nações Unidas, seja encontrada uma solução o mais rapidamente possível", disse João Almeida à agência Lusa.

Os Estados Unidos, a França e o Reino Unido realizaram hoje de madrugada uma ofensiva com mísseis contra três alvos associados à produção e armazenamento de armas químicas na Síria, em resposta a um alegado ataque com armas químicas na cidade rebelde de Douma, em Ghouta Oriental, nos arredores de Damasco.

Aquele ataque químico terá feito 40 mortos e terá ocorrido no dia 7 de abril.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Bernardo Pires de Lima

70 anos depois

Desde 2016 que os dois principais aliados atlânticos de Portugal estão numa deriva deslegitimadora das duas organizações pilares das democracias europeias. Reino Unido e EUA têm infligido uma pressão colossal na UE e na NATO, enquanto protagonizam um triste espetáculo interno de autoflagelação política. Até quando será suportável aguentar tudo isto em simultâneo? Em ano de pressão eleitoral, estaremos conscientes dos seus efeitos sistémicos?

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?