Santander financia 1500 estágios remunerados em PME

O Santander Totta vai financiar um programa de 1500 estágios de três meses, em pequenas e médias empresas (PME), para alunos finalistas ou licenciados há menos de dois anos.

As primeiras 500 bolsas arrancam já em novembro. Cada estagiário vai receber 550 euros por mês, inteiramente financiados pelo banco.

"Perto de 80 mil empresas vão ser informadas do programa de estágios", adiantou o líder do Santander Totta, Vieira Monteiro, numa conferência de imprensa em Lisboa, para apresentar o programa de bolsas de estágio Santander Universidades.

As ofertas serão colocadas na página online do programa. Os alunos, das universidades e politécnicos públicos e privados, vão ser acompanhados pelas instituições de ensino superior, que assinaram ontem com o banco um protocolo de colaboração. Podem concorrer ao estágio os estudantes a frequentar o último ano da licenciatura ou mestrado integrado ou jovens que tenham concluído o ensino supeiror há menos de dois anos.

O programa tem a duração de três anos e representa um investimento total de 2,5 milhões de euros por parte do Santander Totta. Vieira Monteiro sublinhou a intenção do banco em "facilitar" o acesso dos jovens qualificados ao mercado de trabalho. Dando a possibilidade às empresas, de "a custo zero", avaliarem os candidatos durante três meses e a partir daí poderem optar por uma futura contratação.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.