S. José sem tratamento para aneurismas ao fim de semana

Intervenção cirúrgica deve ser feita nas primeiras 24 horas após a rutura, mas o hospital deixou de ter equipas de prevenção

Os doentes que entrem no hospital de S. José, em Lisboa, a partir das 16 horas de sexta-feira com rutura de aneurisma cerebral têm de esperar até segunda para serem tratados.

Faz parte das recomendações internacionais e orientações de boa prática que estes doentes recebam tratamento nas primeiras 24 horas após a rutura, para evitar uma segunda hemorragia e com isto reduzir o aumento do risco de morte e de sequelas graves. Porém, desde meados do ano passado que as equipas de prevenção de neurorradiologia de intervenção e neurocirurgia deixaram de fazer prevenção ao fim de semana, depois da redução do pagamento das horas extraordinárias.

Em 2012, o hospital de S. José recebeu 156 doentes com rutura de aneurisma cerebral. Um número que não fugirá da média anual e que corresponde a doentes reencaminhados de todo o sul do país. O hospital não respondeu às questões enviadas pelo DN.

Leia mais pormenores no e-paper do DN ou na edição impressa

Exclusivos