Rio reúne-se com Assunção Cristas a 1 de março

Na segunda-feira, o novo presidente do PSD reuniu-se com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e na terça-feira com o primeiro-ministro

O novo líder do PSD, Rui Rio, vai reunir-se com a presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, a 01 de março, um encontro "que incluirá almoço", de acordo com um comunicado dos sociais-democratas.

"No seguimento de um pedido de audiência feito pelo presidente do PSD à presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, os dois líderes partidários agendaram uma reunião já para o próximo dia 01 de março, pelas 12:45, que terá lugar na sede do CDS-PP e que incluirá almoço", refere a nota à imprensa.

Rui Rio foi eleito em diretas em 13 de janeiro, com 54% dos votos, e empossado este domingo pelo 37.º Congresso Nacional do partido, no qual Assunção Cristas marcou presença na sessão de encerramento, numa delegação que incluía outros quatro dirigentes do CDS-PP.

Na segunda-feira, o novo presidente do PSD reuniu-se com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e na terça-feira com o primeiro-ministro, António Costa.

No final de ambos os encontros, Rui Rio salientou a disponibilidade dos sociais-democratas para o diálogo com os restantes partidos e admitiu "uma nova fase" nas relações com o Governo, tendo sido já designados os coordenadores do PSD para debater as áreas da descentralização, Álvaro Amaro, e do novo quadro comunitário, Manuel Castro Almeida.

No final da reunião com o chefe de Estado, o novo presidente do PSD já tinha adiantado que se iria encontrar em breve com outros líderes partidários, nomeadamente com a presidente do CDS-PP, dizendo ser uma reunião na qual "terá muito gosto".

Hoje, na Assembleia da República, o novo secretário-geral do PSD assegurou ao CDS-PP que "pode contar" com os sociais-democratas para trabalhar nos próximos dois anos para que o país possa voltar a ter uma maioria de centro-direita.

"Se o país precisa de ter ou não uma maioria de centro direita alternativa à atual governação: pode contar com o PSD, que é nesse sentido que trabalharemos nos próximos meses e durante os anos de 2018 e 2019", afirmou Barreiras Duarte, em resposta a uma questão que tinha sido colocada pelo líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.