Rui Moreira fala em "fraude" nas sondagens. Católica desmente

Universidade responde e diz diz que o Centro de Sondagens não existe para agradar a partidos ou candidatos

A candidatura de Rui Moreira, candidato à Câmara Municipal do Porto pelo movimento independente "Rui Moreira: Porto, o Nosso Partido", publicou esta quarta-feira no seu site um comunicado em que acusa as sondagens da Universidade Católica de "fraude". O comunicado chama-se "sondagens da Católica para RTP e Antena 1 são falsas".

"A sondagem sobre o Porto hoje divulgada pela RTP, realizada pelo Centro de Estudos da Universidade Católica, também responsável pela que foi publicada pelo JN na passada sexta, apresenta erros grosseiros nos seus questionários e metodologias, o que justifica a enorme discrepância para todas as outras conhecidas e publicadas até agora", afirma a candidatura do atual autarca portuense.

A candidatura de Rui Moreira alerta ainda para o facto de a Universidade Católica ter chegado ao "cúmulo de apresentar como opção de voto uma segunda candidatura independente que não existe, também com a palavra 'Porto' na designação, apresentando 10 opções aos seus inquiridos, quando apenas nove se apresentam a eleições".

Segundo o mesmo comunicado, "o mais gritante tem a ver com a omissão do nome de Rui Moreira entre as opções apresentadas aos inquiridos, quando este faz parte da designação oficial da candidatura e do boletim de voto".

"Aos inquiridos era mesmo colocada a questão 'em que partido vota?', embora a Universidade Católica oculte, nos seus relatórios, a forma como formulou a questão aos inquiridos. A sigla foi também omitida e o símbolo foi adulterado. Mas não ficamos por aqui, no que restou da designação da candidatura de Rui Moreira na simulação de boletim que era apresentado, a própria descrição do nome da candidatura contém erros", lê-se também.

O alerta foi dado por "vários dos portuenses inquiridos" que "alertaram para esta inaceitável tentativa de manipulação da opinião pública". A candidatura alertou, na terça-feira, a direção da RTP "para tais factos, aconselhando a não publicação desta fraude".

"Tem estado em curso, nos últimos meses, uma operação que visa manipular a opinião pública e condicionar o sentido do voto no Porto por diversos meios e formas, nomeadamente com a tentativa de impugnar a própria candidatura e de impedir que o nome de Rui Moreira fosse usado nos boletins de voto", afirma ainda a candidatura de Rui Moreira.

Católica diz que o Centro de Sondagens não existe para agradar a partidos ou candidatos

Entretanto, e em resposta, o Centro de Sondagens da Universidade Católica afirma ser uma "entidade autónoma, independente e apartidária".

"Os estudos realizados pelo Centro de Sondagens da Universidade Católica incorporam, como acontece necessariamente em todos os trabalhos desta natureza, margens de erro e a possibilidade de problemas amostrais mas o registo do Centro de Sondagens da Universidade Católica, consolidado ao longo de muitos anos, tem sido de elevada fiabilidade o que aliás justifica a posição de referência que ocupa no panorama nacional", disse a Universidade Católica em comunicado.

"A simulação de voto feita através de dispositivo móvel é a última pergunta em que o dispositivo é passado para a mão do inquirido, este escolhe a opção pretendida em total confidencialidade e anonimato e termina o inquérito. Fica ainda a título de exemplo a fotografia de um ecrã do dispositivo quando o logo de Rui Moreira está presente", é explicado, sendo utilizada a seguinte imagem.

"O Centro de Sondagens da Universidade Católica não existe para agradar a partidos ou candidatos nem para servir as respetivas agendas de campanha" é a frase com que termina a resposta da Universidade Católica, assinada por André Azevedo Alves, diretor do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica, e Jorge Cerol, diretor-executivo do mesmo organismo.

De recordar que a sondagem, revelada pela RTP e Antena 1, dá um empate entre Rui Moreira e aquele que deverá ser o seu principal oponente, o socialista Manuel Pizarro, ambos com 34% das intenções de voto. Já o Jornal de Notícias, revelou uma sondagem que atribuía 34% a Rui Moreira e 33% ao candidato do PS.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.