Retomadas buscas para encontrar pastor de 90 anos desaparecido em São Romão

No local estão 21 elementos dos Bombeiros Voluntários de São Romão, Seia, e da GNR, com nove veículos

As autoridades retomaram pelas 06:00 desta quarta-feira as buscas pelo pastor de 90 anos que está desaparecido em São Romão, no concelho de Seia, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda.

Segundo a fonte, as buscas, que estão a ser realizadas por elementos dos bombeiros e da GNR, iniciadas pelas 22:00 de terça-feira, foram suspensas pelas 03:00 e retomadas às 06:00 desta quarta-feira.

Participam nas operações 21 elementos dos Bombeiros Voluntários de São Romão, Seia, e da GNR, com nove veículos, indicou o CDOS da Guarda pelas 08:30.

"Recebemos a informação de que um homem com 90 anos está desaparecido. O homem é pastor, saiu com o gado de manhã e devia voltar cerca das 19:00, o que não aconteceu, com a família a alertar as autoridades", disse à Lusa fonte do CDOS, cerca das 00:30.

Segundo a mesma fonte, o homem é descrito como sendo "saudável e autónomo", não apresentando nenhum antecedente de doença.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Globalização e ética global

1. Muitas das graves convulsões sociais em curso têm na sua base a globalização, que arrasta consigo inevitavelmente questões gigantescas e desperta paixões que nem sempre permitem um debate sereno e racional. Hans Küng, o famoso teólogo dito heterodoxo, mas que Francisco recuperou, deu um contributo para esse debate, que assenta em quatro teses. Segundo ele, a globalização é inevitável, ambivalente (com ganhadores e perdedores), e não calculável (pode levar ao milagre económico ou ao descalabro), mas também - e isto é o mais importante - dirigível. Isto significa que a globalização económica exige uma globalização no domínio ético. Impõe-se um consenso ético mínimo quanto a valores, atitudes e critérios, um ethos mundial para uma sociedade e uma economia mundiais. É o próprio mercado global que exige um ethos global, também para salvaguardar as diferentes tradições culturais da lógica global e avassaladora de uma espécie de "metafísica do mercado" e de uma sociedade de mercado total.