Resultados na Holanda são "boa notícia" para Portugal, diz Marcelo

Presidente da República afirma que "continua a mesma linha europeia, a mesma linha moderada"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considera que os resultados eleitorais na Holanda, onde foi reeleito o primeiro-ministro, são uma "boa notícia" para a Europa e para Portugal.

"Aparentemente não há alteração no Governo. Continua a mesma linha europeia, a mesma linha moderada", afirmou à margem da entrega dos prémios da Sociedade Portuguesa de Autores, em declarações transmitidas hoje pela rádio TSF, salientando que a "escolha do povo holandês" é "uma boa notícia para os parceiros como Portugal", "para todos os que defendem uma Europa moderada, unida, coesa, forte".

De acordo com as sondagens à boca das urnas conhecidas esta quarta-feira à noite, o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, foi reeleito para um terceiro mandato, com 31 dos 150 lugares no parlamento.

Geert Wilders, líder do Partido da Liberdade (PVV, extrema-direita) não deverá ultrapassar os 19 assentos (15 na anterior legislatura), tantos quanto os democratas-cristãos e o partido Democracia D66.

Esta quinta-feira, Rutte deverá iniciar negociações, que se antecipam longas, com outros partidos para formar Governo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.