Rangel arrasa política financeira de Costa antes de discurso de Marcelo

Eurodeputado social-democrata elogia política de Costa para os refugidos, mas diz que política financeira é "deplorável"

A quinze minutos da intervenção do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o eurodeputado Paulo Rangel foi duro com o executivo de António Costa, dizendo que "a política financeira, económica e fiscal do governo português é deplorável".

O eurodeputado do Partido Popular Europeu (família europeia do PSD), elogiou, no entanto, "a postura do governo português em matéria de refugiados, estando disponível para receber" e aconselha mesmo "os outros Estados a seguirem o nosso exemplo".

Com o debate do hemiciclo em Estrasburgo centrado na questão dos refugiados, Paulo Rangel defendeu que "devemos estar ao lado dos direitos humanos nesta crise dos refugiados, acolhendo na União Europeia e tendo uma postura solidária." Sobre o acordo com a Turquia, Rangel admite que "não é um bom acordo, é o acordo possível", servindo acima de tudo para "ganhar tempo".

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.