Mais quatro fardos de borracha encontrados em praias de Viana do Castelo

Pelo menos oito fardos tinham dado à costa na sexta-feira, suspeitando-se que caíram de um navio

Quatro fardos com borracha, com cerca de 80 quilos cada, que deram à costa de Viana do Castelo, no domingo, vão ser removidos hoje, disse à Lusa o capitão do porto e comandante da Polícia Marítima local.

Raul Risso explicou que os fardos com borracha em estado primário e compactada foram encontrados na costa das freguesias de Afife, Areosa (a norte do castelo da Praia Norte) e, em Vila Nova de Aanha, na praia do Rodanho.

O responsável adiantou que "os trabalhos de remoção dos fardos deverão ficar concluídos hoje em articulação com as Juntas de Freguesia".

Contactado pela agência Lusa, o capitão do porto e comandante da Polícia Marítima de Caminha, Pedro Miguel Cervaens Costa, disse que, "até ao momento não foi encontrado nenhum fardo na sua área de jurisdição".

Não é droga, aparentemente é uma borracha em estado primário, compactada, que possivelmente caiu de um navio

Na sexta-feira, pelo menos oito daqueles fardos tinham dado à costa, suspeitando-se que caíram de um navio, disse fonte da Polícia Marítima.

Afastando as suspeitas iniciais de que poderia tratar-se de fardos de haxixe, Rodrigues Campos, da Capitania do Porto do Douro, disse que os fardos são compostos de "uma borracha em estado primário".

"Não é droga, aparentemente é uma borracha em estado primário, compactada, que possivelmente caiu de um navio e que está a aparecer ao longo da costa marítima portuguesa", disse Rodrigues Campos à agência Lusa, acrescentando que podem aparecer mais fardos deste tipo.

Na segunda-feira dois fardos de cerca de 80 quilos e que então se supunha serem de haxixe foram encontrados nas praias de Quebrada, em Lavra, Matosinhos, e da Baía, em Espinho.

Já na quinta-feira, foram encontrados mais três fardos com o mesmo peso e características na zona de Miramar (Vila Nova de Gaia), outro em Cascais no início desta semana, mais um fardo em Matosinhos (além do recolhido na praia de Quebrada na segunda-feira), e ainda outro no distrito de Aveiro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.