Quarenta viaturas vandalizadas em Pombal desde quinta-feira

Atos de vandalismo têm ocorrido por toda a cidade, segundo a PSP. Ainda não há suspeitos

Cerca de 40 viaturas foram vandalizadas desde quinta-feira na cidade de Pombal, no distrito de Leiria, apresentando os pneus cortados, informou hoje à agência Lusa a PSP.

Segundo uma informação escrita do Comando Distrital da PSP de Leiria, "foram vandalizadas 38 viaturas" que tinham os "pneus cortados".

A PSP adianta que os atos de vandalismo têm ocorrido "em toda a cidade", dispersos "por várias artérias e arruamentos".

De acordo com a PSP, a primeira queixa surgiu na quinta-feira às 06:23, tendo, até ao momento, sido recebidas pela polícia "seis denúncias formais".

Questionada se já foi identificado ou detido alguém, a PSP esclarece que "as informações recolhidas até à presente data não permitem, ainda, considerar ninguém como suspeito".

A Esquadra de Pombal "continua a desenvolver diligências para tentar identificar eventuais suspeitos", acrescenta a mesma informação.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os aspirantes a populistas

O medo do populismo é tão grande que, hoje em dia, qualquer frase, ato ou omissão rapidamente são associados a este bicho-papão. E é, de facto, um bicho-papão, mas nem tudo ou todos aqueles a quem chamamos de populistas o são de facto. Pelo menos, na verdadeira aceção da palavra. Na semana em que celebramos 45 anos de democracia em Portugal, talvez seja importante separarmos o trigo do joio. E percebermos que há políticos com quem podemos concordar mais ou menos e outros que não passam de reles cópias dos principais populistas mundiais, que, num fenómeno de mimetismo - e de muito oportunismo -, procuram ocupar um espaço que acreditam estar vago entre o eleitorado português.