PSD tem Oeiras em aberto, com Isaltino à espera de uma decisão

Com a candidatura na capital fechada há outra questão por resolver na grande Lisboa. Oeiras deve passar prazos previstos

A capital já está, sobra ao PSD outra questão por resolver na região da grande Lisboa - Oeiras. Os sociais-democratas mantêm em cima da mesa a hipótese de apoiar o atual presidente, Paulo Vistas, ou avançar com uma candidatura própria, à partida em coligação com o CDS. Em Oeiras ainda se fazem contas, mas com uma condicionante que baralha tudo: a hipótese, tida como quase certa entre as forças políticas locais, de Isaltino Morais voltar a candidatar-se à câmara.

No último domingo, na sequência da reunião que aprovou o nome de Teresa Leal Coelho para Lisboa, o presidente da distrital social-democrata remeteu para o final de março ou início de Abril a decisão sobre três autarquias - Oeiras, Odivelas e Loures. Ao que o DN apurou as duas últimas estão bastante avançadas, mas foi decidido não acelerar o processo de decisão nestes municípios, também para não deixar Oeiras como o único caso em aberto na área metropolitana da capital. Miguel Pinto Luz disse então que todos os cenários estão abertos em Oeiras: "Não temos nenhum dogma, nenhum preconceito. Estão abertas todas as possibilidades". E essas passam ou por apoiar Paulo Vistas, ou por avançar com uma candidatura própria, previsivelmente em coligação com o CDS.

Ângelo Pereira, líder da concelhia de Oeiras dos sociais-democratas, diz ao DN que "PSD e CDS têm boas relações em Oeiras" - "Há todas as condições para apoiarmos um candidato comum". Mas acrescenta também que o partido continua "em fase de reflexão interna" que se deverá prolongar até final do mês - "Vamos decidir em cima do prazo". E deixa antever que os sociais-democratas se dividem em torno de uma candidatura em nome próprio ou de apoio ao atual presidente do município: "Ainda temos que, internamente, decidir por uma opção que mantenha o partido unido". Do outro lado também João Gonçalves Pereira, presidente da distrital de Lisboa do CDS, admite que há conversas com o PSD, mas que nenhum cenário foi ainda fechado.

Isaltino Morais tem deixado em suspenso se avança novamente para Oeiras. À Lusa o ex-autarca e ex-ministro já disse que está à espera precisamente do anúncio da candidatura social-democrata para anunciar uma decisão. Mas entre as restantes forças políticas é tido como certo que o antigo líder do município vai mesmo avançar. Isaltino Morais foi condenado em 2009 a sete anos de prisão (e a perda de mandato) por corrupção passiva para ato ilícito, abuso de poder, branqueamento de capitais e fraude fiscal.

Em Oeiras é já oficial a candidatura de Paulo Vistas, o atual presidente de câmara (antigo vice de Isaltino), que volta a encabeçar o movimento Independentes Oeiras Mais à Frente. Com uma "pequena" alteração à sigla de há quatro anos - o "i" que era de Isaltino passou agora a designar "independentes", o que já provocou uma azeda troca de palavras entre o atual e o anterior presidente da Câmara de Oeiras. Ainda não oficializada, mas já certa é a candidatura do socialista Joaquim Raposo, ex-presidente da Câmara da Amadora. Pela CDU avança o líder da bancada comunista na Assembleia Municipal, Daniel Branco.

O PSD prepara-se para homologar hoje em Comissão Política Nacional (e quinta-feira em Conselho Nacional), a maioria dos candidatos às autárquicas do próximo outono - mais de 160, que se juntam às 95 já aprovadas. De acordo com dados divulgados ontem na newsletter dos sociais-democratas, estão já fechadas 99 coligações com o CDS, estando o PSD disponível para fechar acordos em 140 concelhos. Números que levam o PSD a afirmar que é agora o partido com o processo autárquico mais avançado.

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Portugal
Pub
Pub