PSD preocupado com falta de apoio aos sem abrigo

Representantes do PSD na Assembleia Municipal criticam falta de ação do executivo camarário perante nova vaga de frio. E pede a abertura imediata do Pavilhão Vistoso e de algumas estações do Metropolitano.

PSD manifestou preocupação pelo facto de a Câmara Municipal de Lisboa não ter tomado qualquer ação perante a iminente vaga de frio previsto para os próximos dias 6, 7 e 8, com as temperaturas mínimas a caírem para os quatro graus. E nota que os mais expostos são os sem abrigo.

"Os sem abrigo, nomeadamente pelo facto de se encontrarem expostos aos elementos, são quem mais sofre com estas condições", refere um comunicado distribuído nesta sexta-feira.

O comunicado recorda que, "preocupado com esta situação, apresentou uma recomendação na Assembleia Municipal no passado dia 16 de janeiro, que foi aprovada por unanimidade,mas que não teve ainda qualquer acolhimento por parte da CML. De acordo com o Líder de Bancada do PSD da Assembleia Municipal de Lisboa, Luís Newton, "Esta recomendação pretende atualizar os mecanismos de avaliação das condições de ativação do Plano de Contingência para a População Sem Abrigo à luz do conhecimento moderno da sensação térmica, mais adequado para avaliar o real impacto das condições atmosféricas sobre esta população em risco.

"Recordamos que, ao contrário da utilização do critério da temperatura mínima absoluta, a sensação térmica envolve a conjugação dos fatores atmosféricos determinantes que, para além da temperatura, integra a velocidade do vento. Estes dados conjugados são muito mais eficazes para aferir do real impacto do clima sobre o corpo humano, fundamental para compreender as enormes dificuldades que os sem abrigo poderão
sentir", lê-se ainda no texto.

Perante este quadro, o PSD exige medidas imediatas, como a abertura do Pavilhão Vistoso e o diálogo com o Metropolitano de Lisboa para serem abertas algumas estações no período em causa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.