PSD pede que não haja pressa e admite todas as posições (até referendo)

Luís Montenegro, líder parlamentar do PSD, encerrou um colóquio do seu partido sobre eutanásia dizendo que este é um debate "que exige tempo e mobilização"

Ao mesmo tempo, elencou as opções possíveis, colocando nestas um referendo nacional: defesa da despenalização, "consulta pública" (ou seja, referendo), agravamento da penalização e "não decidir coisa nenhuma".

"Não excluímos nenhuma posição", "todas as posições estão em aberto" - salientou, ressalvando no entanto que, em qualquer caso, haverá liberdade de voto na bancada.

Para o chefe da bancada 'laranja', "não devemos acelerar ou precipitar nenhuma decisão" porque os deputados devem ter a "possibilidade alargada de ouvirem a sociedade" sobre este assunto.

E essa obrigação - acrescentou - reforça-se com o facto de o PSD, tal como aliás todos os outros partidos (excepto o PAN), não ter proposto nenhuma posição sobre eutanásia no programa eleitoral que levou a votos nas últimas legislativas. Isso - explicou - cria "a obrigação de uma ponderação ainda maior".

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.