PS espera aprovar reforma da descentralização nesta sessão legislativa

Carlos César antecipa as jornadas parlamentares do PS, que se realizam nos distritos de Beja e Évora na segunda e terça-feira

O líder parlamentar do PS defende que é possível aprovar na Assembleia da República os "diplomas estruturantes" da reforma da descentralização de competências para os municípios ainda na presente sessão legislativa, que termina este mês.

Carlos César assumiu esta posição sobre uma matéria em que há um acordo global de princípio entre o Governo e o PSD numa antecipação que fez das jornadas parlamentares do PS, que se realizam nos distritos de Beja e Évora na segunda e terça-feira.

"Neste momento está em causa concretizar um processo de descentralização, que é essencialmente dirigido ao reforço das competências municipais. Em todo o caso, creio que podem existir condições para que, nesta sessão legislativa, possam ficar aprovados documentos estruturantes dessa reforma. Se tal acontecer, será muito significativo e importante", declarou o presidente do Grupo Parlamentar do PS.

Carlos César referiu depois que as jornadas parlamentares do PS em Évora e Beja "enfatizarão a questão da descentralização para a resolução dos problemas do país, através na aposta nagestão de proximidade".

Sem uma gestão de proximidade, que maximize os recursos locais e regionais, que atenda ao investimento que realmente cria valor, a par da valorização dos recursos públicos nessas áreas, dificilmente equilibraremos do ponto de vista demográfico a estrutura do nosso país.

Em termos de curto ou médio prazo, o presidente do Grupo Parlamentar do PS afastou a questão política referente ao processo de criação de regiões administrativas.

"Creio que o país ganharia com outra dimensão de reforma das competências das administrações do Estado, mas considero um progresso muito importante aquele que agora se faz no sentido do reforço das competências municipais. Defendo que haja uma gradualidade em todo este processo descentralizar e nas outras medidas de desconcentração já decididas pelo Governo", acrescentou o líder da bancada socialista.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.