Professores: Governo tem de mostrar estudo às contas que fez

Executivo socialista fala em 600 milhões. BE pede ao Ministério que divulgue o "estudo do impacto orçamental sobre o descongelamento das carreiras dos professores"

Para que não haja dúvidas sobre o que está em causa, o Bloco de Esquerda entregou um requerimento no Parlamento para que o Ministério da Educação "divulgue o estudo do impacto orçamental sobre o descongelamento das carreiras dos professores".

Na nota do BE enviada à comunicação social, divulgada esta terça-feira de manhã, recorda-se que o Governo tem apresentado como objeção a esse descongelamento "a sustentabilidade financeira da recuperação integral do tempo de serviço".

Em números avançados pelo primeiro-ministro, António Costa, o descongelamento poderia custar cerca de 600 milhões de euros. O executivo socialista admitiu apenas, recorda ainda o BE, uma proposta de contagem de dois anos, nove meses e 18 dias. Já os sindicatos, "à semelhança do que aconteceu em governos anteriores, apresentaram uma proposta de faseamento que prevê uma grelha de recuperação do tempo de serviço até 2023".

Como os bloquistas notam que, no requerimento assinado por Joana Mortágua, "têm sido avançados pelas partes diferentes números relativos ao impacto orçamental da recuperação integral do tempo de serviço congelado que importa conhecer e avaliar". E é aqui que o BE quer que o Ministério de Tiago Brandão Rodrigues mostre o que diz o estudo desse impacto orçamental.

Exclusivos