Ministro diz que problema nas prescrições das multas está resolvido

"A mudança de sistema em 2017 levou a um problema pontual, que foi passar das 30 mil para 60 mil prescrições, que é um mau resultado", disse Eduardo Cabrita

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, disse esta terça-feira que a mudança de sistema provocou um aumento nas prescrições das multas de trânsito em 2017, mas o problema já foi resolvido no primeiro trimestre do ano.

"A mudança de sistema em 2017 levou a um problema pontual, que foi passar das 30 mil para 60 mil prescrições, que é um mau resultado", disse o ministro na comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas, numa audição pedida pelo PSD sobre a evolução da sinistralidade rodoviária.

Eduardo Cabrita adiantou que a instalação do Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO) e a mudança do sistema informático provocaram alguns problemas em 2017.

Segundo o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), o Estado deixou prescrever 61.776 contraordenações em 2017, o que corresponde a um aumento de 94% em relação ao ano de 2016, quando prescreveram 31.845

"Esses problemas hoje estão resolvidos. Nos três primeiros meses de 2018 já foram processadas metade das contraordenações de todo o ano de 2017", disse, adiantando que, no início do ano, não se verificaram prescrições.

O ministro recordou que, entre 2012 e 2014, prescreveram mais de 200 mil contraordenações por ano.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.