Prisão efetiva para idoso que abusou de menina

O Tribunal da Relação de Guimarães confirmou a condenação a três anos e meio de prisão efetiva de um homem de 70 anos, por abuso sexual de uma menina de quatro anos, em 2012, em Melgaço.

O arguido pedia a suspensão da pena, alegando que está social e familiarmente bem inserido, não possui antecedentes por crimes da mesma natureza e que o crime que cometeu não chegou a assumir repercussão social, por não ter sido do conhecimento da população.

Alegava ainda que, por ser deficiente motor e "depender do transporte em ambulância para se ausentar de casa", não haveria "qualquer perigo" de continuação da atividade criminosa.

No entanto, o tribunal, por acórdão a que a Lusa hoje teve acesso, manteve a pena de prisão efetiva, sublinhando que, por estarem em causa valores "tão elementares" como a liberdade e autodeterminação sexual de uma criança, se impõe a necessidade de "dar um sinal claro à comunidade de que tais valores devem ser superiormente protegidos e valorizados".

Além disso, o tribunal enfatizou a personalidade do arguido, "altamente disforme ao Direito", para concluir que a ameaça da prisão não seria de molde a afastar a prática de novos crimes.

"Tanto mais que sabemos a dificuldade que os abusadores têm em se manter afastados da reincidência", refere o acórdão da Relação.

Por isso, o tribunal considera que a aplicação de pena suspensa infligiria na comunidade um "inexorável sentimento de crise na confiança que os cidadãos depositam nas instituições do Estado guardiãs dos mais caros valores humanos".

Os abusos do idoso terão ocorrido "por diversas vezes" entre janeiro e maio de 2012, quando o arguido ia com a mulher, no seu ciclomotor, visitar a avó da menina.

Enquanto as duas mulheres conversavam, o arguido levava a criança para o veículo, onde consumaria os abusos.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".