Português apanhado a conduzir a 221km/h em Espanha com filha de oito meses no carro

Homem de 22 anos, de nacionalidade portuguesa, foi apanhado pela polícia espanhola em excesso de velocidade numa zona próxima do local onde, sábado passado, morreram três crianças portuguesas.

A Guardia Civil espanhola deteve um condutor que seguia a 221 quilómetros por hora numa autoestrada do país vizinho. O excesso de velocidade foi detetado na sexta-feira passada, através de um radar, colocado numa zona onde a velocidade máxima são 120 km/h.

Na viatura seguiam o condutor, um português de 22 anos, acompanhado pela mulher e a filha de oito meses. O controlo foi realizado numa zona próxima do local onde, no sábado, três crianças portuguesas perderam a vida num acidente de automóvel.

Segundo o jornal espanhol El Mundo, a família circulava na A-11 perto de Coreses (Zamora), acabando o condutor por ser intercetado 70 km depois do controlo de velocidade. Para um delito desta gravidade, o Código penal espanhol prevê proibição de conduzir num período que vai de um a quatro anos, a que poderá acrescer pena de prisão de três a seis meses ou trabalho comunitário de 31 a 90 dias. A apreensão do veículo é também uma das hipóteses previstas na lei.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.