Portugal já tem Banco de Sangue Veterinário

O Hospital Veterinário do Porto criou o primeiro banco de sangue no País para cães e gatos. Director clínico apela à doação.

Calmo, simpático, saudável, devidamente vacinado e desparasitado, sem sinais de doenças infecciosas, com idade entre os um e oito anos e com mais de 25 kg, se for cão, e 3,5 se for gato. São estes os requisitos que os animais têm de preencher para se tornarem dadores de sangue. O Hospital Veterinário do Porto criou o primeiro banco de sangue em Portugal que, à semelhança do Instituto Português do Sangue, disponibiliza o que for necessário para clínicas e hospitais veterinários em todo o País.

No hospital há agora um espaço próprio para o efeito, com todo o equipamento necessário para a recolha, processamento e armazenamento de componentes sanguíneos. Foi, inclusive, formado um médico veterinário especificamente para esta área. "Sentimos a obrigação de melhorar as condições de colheita, processamento e armazenamento de componentes sanguíneo e é nesse sentido que surgiu o banco de sangue", explicou, através de um comunicado, Mário Santos, director clínico do Hospital Veterinário do Porto.

O responsável apela agora que os donos dos animais contribuam para a recolha de sangue nos seus cães e gatos: "Sem dúvida que o destaque desta iniciativa recai sobre o empenho e disponibilidade dos proprietários dos nossos cães e gatos dadores, que se revelam num acto altruísta e fraterno, demonstrando o verdadeiro amor pelos animais."

Ler mais

Exclusivos