Polícia Judiciária deteve astrólogo suspeito de burla

Terá ficado com 35 mil euros de cliente

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de um homem de 29 anos, astrólogo de profissão, pela presumível autoria de um crime de burla qualificada na zona de Seia, no distrito da Guarda.

O Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda refere em comunicado hoje divulgado que o homem é suspeito de ter praticado o crime "entre junho de 2016 e fevereiro de 2017".

"O detido, arrogando-se vidente e detentor de especiais poderes curativos para a resolução de conflitos familiares, na sequência de consultas que efetuou, por meio de ameaças e de engano que astuciosamente provocou, determinou a vítima a fazer-lhe várias entregas em dinheiro, lesando-a em cerca de 35 mil euros", segundo a fonte.

O homem vai ser presente às autoridades judiciais competentes para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.