PJ investiga a morte de mãe e filho carbonizados nos Açores

Os dois corpos foram encontrados dentro de uma viatura em chamas e as hipóteses de acidente, homicídio ou suicídio estão em aberto

A Polícia Judiciária está a investigar as circunstâncias da morte de uma mulher e do seu filho de três anos que foram encontrados carbonizados numa viatura, no concelho da Ribeira Grande, nos Açores.

Segunda a PJ "estão a ser realizadas várias diligências", aguardando-se ainda o resultado das autópsias aos corpos da mulher, com cerca de 40 anos, e do filho.

Segundo a mesma fonte, "todos os cenários estão em aberto" - acidente, homicídio ou suicídio -, mas a PJ conta ter resultados "num espaço de tempo relativamente

A corporação dos Bombeiros Voluntários da Ribeira Grande foi chamada para combater um incêndio numa viatura por volta das 14:00 horas locais de segunda-feira e não se apercebeu no imediato que estavam no carro dois cadáveres.

Segundo o comandante dos Bombeiros Voluntários, José Nuno, quando chegaram ao local a viatura já estava a arder e que se encontrava numa zona de difícil acesso, numa pastagem na zona da Boavista, em Rabo de Peixe.

Os corpos foram transportados para o Hospital de Ponta Delgada.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".