PJ deteve suspeito de ter baleado três pessoas durante as Festas da Moita

O presumível autor dos disparos pretendia atingir um homem com o qual tinha divergências anteriores, mas errou o alvo e atingiu outras três pessoas

A PJ deteve um homem de 22 anos suspeito de ter atingido três pessoas a tiro, em setembro do ano passado, durante as Festas da Moita, no distrito de Setúbal, foi hoje anunciado.

Segundo um comunicado da PJ, o presumível autor dos disparos pretendia atingir um homem com o qual tinha divergências anteriores, mas errou o alvo e atingiu outras três pessoas de idades compreendidas entre os 21 e os 27 anos, sendo que pelo menos duas tiveram de receber tratamento hospitalar.

De acordo com a PJ, o detido é também suspeito de ter voltado a disparar sobre o homem com o qual mantinha uma relação conflituosa em duas ocasiões distintas, sendo que numa dessas tentativas acabou por lhe infligir lesões graves, que obrigaram a internamento hospitalar da vítima durante uma semana.

O arguido, que está indiciado pelos crimes qualificados de homicídio na forma tentada e de ofensas à integridade física, deverá ser esta quinta-feira presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação de eventuais medidas de coação.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.