PJ deteve suspeito de abuso sexual e agressão à namorada menor

A Polícia Judiciária de Braga deteve na zona de Arcos de Valdevez um homem de 18 anos suspeito de, ao longo dos últimos meses, abusar sexualmente e agredir uma menor de 15 anos, sua namorada

Em comunicado, a Polícia Judiciária (PJ) refere que a investigação foi iniciada em junho, por crime de autodeterminação sexual.

No decorrer da investigação, a PJ recolheu indícios da prática dos crimes de atos sexuais com adolescentes, pornografia de menores, perseguição agravada e violência doméstica.

Segundo a PJ, a menor era também agredida "reiteradamente" pelo arguido, então seu namorado, incluindo na escola.

Por não aceitar a separação, num crescendo de atos de violência, o suspeito agrediu e perseguiu ainda a mãe da menor e outros familiares, tendo também na sua posse, e com vista à partilha informática, fotos íntimas da menor

O detido, sem ocupação profissional, vai ser apresentado às autoridades judiciárias competentes para aplicação das respetivas medidas de coação.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.