Estudante de Medicina tenta matar jovem à facada

O incidente ocorreu na sexta-feira de madrugada, em Paranhos, e o suspeito foi detido pela Polícia Judiciária

Um suspeito de tentar matar com arma branca um jovem junto à igreja de Paranhos, no Porto, foi detido pela Polícia Judiciária (PJ), anunciou hoje aquela autoridade policial.

Em comunicado, a PJ refere que o caso de homicídio na forma tentada ocorreu na sexta-feira, cerca das 4:00, nas proximidades da igreja de Paranhos, local para onde se deslocaram a vítima, de 24 anos de idade, e o suspeito de 26 anos, com o "intuito de fumar um cigarro e conversar".

"Por razões ainda não concretamente apuradas, o suspeito, já fora da viatura, desferiu várias facadas na vítima, algumas das quais pelas costas", descreve a PJ, acrescentando que a vítima depois de ter ficado "gravemente ferida e caída no solo", foi "ainda agredida com um bloco de cimento na cabeça".

A gravidade dos ferimentos colocou a vítima, ainda internada, em perigo de vida.

O detido, assistente operacional num 'call center' e estudante de medicina, sem antecedentes criminais, ficou em prisão preventiva depois de ouvido por um juiz de instrução.

Ler mais

Exclusivos

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...