PJ detém suspeito de atingir homem a tiro em Olhão

O autor, de 26 anos, que atingiu a tiro um homem de 36 anos, em Olhão, foi hoje detido pela Polícia Judiciária e vai ser presente ao juiz de instrução criminal.

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje que deteve um homem suspeito de tentativa de homicídio, ao atingir a tiro uma pessoa, na terça-feira, em Olhão, localidade do distrito de Faro onde foi detido.

A diretoria do sul da PJ diz em comunicado que o detido, "munido com uma arma caçadeira e na sequência de uma discussão, efetuou um tiro contra um homem de 36 anos de idade", atingindo-o "na zona abdominal".

A PJ refere que o disparo só não foi mortal "devido à pronta intervenção dos meios de socorro que o transportaram ao Centro Hospitalar de Faro".

O alegado autor do disparo tem 26 anos e vai ser presente ao juiz de instrução criminal, que determinará as eventuais medidas de coação a aplicar, diz ainda a PJ no comunicado.

A Policia Judiciária sublinha que a detenção foi feita com a colaboração da PSP de Olhão e dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António.

Questionada pela agência Lusa, fonte da diretoria do sul da Polícia Judiciária esclareceu que a detenção foi efetuada em Olhão e que a colaboração dos bombeiros de Vila Real de Santo António, localidade situada a cerca de 40 quilómetros, se justificou por "ter sido a corporação que encontrou a arma do crime".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.