Pizarro admite acordo à direita. Moreira teve visita do CDS

Diogo Feio, eurodeputado do CDS, surgiu na campanha para apoiar o candidato independente. Socialista Manuel Pizarro foi recebido no Parque da Prelada pelo mandatário de Álvaro Almeida

Manuel Pizarro diz-se disponível para entendimentos pós-eleitorais à esquerda e à direita. O candidato do PS visitou ontem o Parque da Prelada, propriedade da Santa Casa de Misericórdia do Porto, encerrado há mais de uma década, para dizer que pretende reabrir o espaço verde para a cidade usufruir. Ao seu lado, estava o provedor António Tavares, social-democrata e mandatário da candidatura de Álvaro Almeida, de quem Pizarro já elogiou a proposta para o estacionamento. O socialista não rejeita nenhuma hipótese de entendimento, por ser "uma pessoa com facilidade de diálogo à direita e à esquerda", e diz que encontrará "uma solução de governo estável e tranquila para a câmara, que respeite naturalmente o programa do PS".

O parque da Prelada, com um jardim desenhado por Nicolau Nasoni, precisa de um investimento de cerca de dois milhões de euros, diz Pizarro, para ser "possível colocar de forma completamente aprazível à população", com espaços de lazer, convívio, desporto e hortas. António Tavares mostra-se disposto a um entendimento com o município, que até agora não aconteceu.

Rui Moreira visitou a zona do Campo 24 de Agosto, no Bonfim, e caminhou até às Eirinhas, junto ao Hospital Joaquim Urbano, onde irá nascer um empreendimento com habitação social, e privada, e um pavilhão, por ser "uma das zonas do Porto mais mal servidas com equipamentos desportivos". O candidato chegou de metro e tinha à sua espera Diogo Feio, eurodeputado do CDS-PP, um dos partidos, com o MPT, que apoia o movimento independente. "Não venho em representação de ninguém. Apoio Rui Moreira com muito gosto. Já fui um entusiasta da primeira candidatura em 2013 e sou novamente", disse o militante do CDS-PP, enquanto Rui Moreira apenas constatou que Diogo Feyo era apenas mais um apoiante. "Este é do CDS, os outros não sei", disse o independente que se recandidata. Durante a manhã, Rui Moreira visitou a Moagem Ceres, em Campanhã, uma empresa centenária e que é a maior do concelho e irá beneficiar com o novo Terminal Intermodal, importante para a zona de Campanhã que "será sempre uma aposta".

Opinião diferente tem Álvaro Almeida que ontem visitou o Bairro do Lagarteiro. "Campanhã tem sido uma zona abandonada e, por isso, viemos ao Bairro do Lagarteiro porque estamos numa zona onde, a Norte, gostaríamos de instalar o centro empresarial oriental do Porto", disse o candidato do Porto Autêntico que deu os exemplos do "polo logístico do matadouro, o interface rodoviário e o centro de industrialização" do que ficou por fazer.

Da mesma forma crítico, João Teixeira Lopes acusou Rui Moreira e Manuel Pizarro de "falta de credibilidade" devido a "promessas não cumpridas" na criação de espaços verdes de proximidade. "Precisamos de chegar, pelo menos, aos 20 metros quadrados por habitante", defendeu o candidato do BE, numa visita ao campo da Ervilha (Foz), uma área que diz estar "completamente abandonada".

Ler mais

Exclusivos

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".