PGR revela lista de mortos em Pedrógão Grande

Ministério Público reitera o número de 64 vítimas mortais na tragédia

A Procuradoria Geral da República enviou esta terça-feira à noite à comunicação social um comunicado com as identificações dos mortos pelos incêndios em Pedrógão Grande.

Leia aqui o documento na íntegra

No mesmo comunicado, "confirma-se a existência, até ao momento, de 64 vítimas mortais, cuja identidade se considera poder, agora, ser publicitada com segurança e sem perturbação da investigação".

Isto porque, segundo o Ministério Público, após esta terça-feira ter sido interrogada a autora de uma outra lista de vítimas -- que contabilizava 73 mortos -- foi possível apurar "a existência de diversas imprecisões quanto à identificação das pessoas indicadas na referida lista, bem como repetição de nomes em, pelo menos, seis situações."

"Conclui-se, assim, existir coincidência entre os nomes das vítimas mortais já identificadas no inquérito e os constantes da lista publicitada pela testemunha, com exceção de Alzira Carvalho da Costa e de José Rosa Tomás", escreve o Ministério Público, esclarecendo que no primeiro caso -- a mulher atropelada quando fugia do fogo -- "está a ser investigada no âmbito de outro inquérito, iniciado logo que noticiado o acidente de viação ocorrido".

Já relativamente a José Rosa Tomás, diz o MP que "até ao momento [esta morte] não está sinalizada como diretamente relacionada com o incêndio".

A PGR volta, em conclusão, a apelar "para que todos os que tenham conhecimento de quaisquer factos relacionados com os incêndios de Pedrógão Grande os transmitam ao Ministério Público".

Eis a lista de nomes revelados pela PGR:

Afonso dos Santos Conceição

Américo Bráz Rodrigues

Ana Isabel Nunes Henriques

Ana Mafalda Pereira da Silva Correia Lacerda

Ana Maria Correia Fernandes Boleo Tomé

Anabela Lourenço Quevedo Esteves

Anabela Maria da Silva Lopes Carvalho

Anabela Pereira Araújo

António Lacerda Lopes da Costa

António Manuel Damásio Nunes

António Vaz Lopes

Armindo Rodrigues Medeiros

Aurora Conceição Abreu

Bianca Antunes Henriques Nunes

Bianca Sousa Machado

Didia Maria dos Santos Lopes Augusto

Diogo Manuel Carvalho Costa

Eduardo Antunes Costa

Eliana Cristina Fernandes Francisco Damásio

Fátima Maria Carvalho

Fausto Dias Lopes da Costa

Felismina Rosa Nunes Ramalho

Fernando Fonseca Abreu

Fernando Freire dos Santos

Fernando Rui Simões Mendes da Silva

Gonçalo Fernando Correia Conceição

Jaime Mendes Luis

Joana Marques Pinhal

Joaquim Lacerda Lopes da Costa

José Henriques da Silva

José Maria Nunes Graça

Ligia Isabel Libório Sousa

Luciano Maria Joaquim

Lucilia da Conceição Simões

Luis Fernando Benedetti Piazza Mendes Silva

Manuel Abreu Fidalgo

Manuel André de Almeida

Manuel Bernardo

Margarida Marques Pinhal

Maria Arminda Antunes de Bastos Godinho e Abreu

Maria Augusta Henriques Ferreira

Maria Cipriana Farinha Branco Almeida

Maria Cristina da Silva Gonçalves

Maria da Conceição Ribeiro Nunes Graça

Maria Helena Simões Henriques da Silva

Maria Leonor Arnauth Neves

Maria Luisa Araújo Courela Antunes Rosa

Maria Odete dos Santos Anacleto Bernardo

Maria Odete Rosa Rodrigues

Mário Fernando Antunes Carvalho

Martim Miguel Sousa Machado

Miguel Santos Lopes da Costa

Nelson André Damásio Nunes

Paulo Miguel Valente da Silva

Ricardo Carvalho Martins

Rodrigo Miguel Cardita Rosário

Sara Elisa Dinis Costa

Sara Peralta Antunes

Sérgio Filipe Quintas Duarte

Sérgio Teixeira Machado

Sidnel Belchior Vaz do Rosário

Susana Maria Guerreiro Marques Pinhal

Vasco Antunes Rosa

Vitor Manuel da Conceição Passos Rosa

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.