PGR investiga privatização da TAP

A Procuradoria Geral da República está a investigar a tentativa de privatização da TAP que teve como único concorrente Germán Efromovich.

O processo teve início, de acordo com a edição de hoje do Diário Económico, no ano passado e desenvolveu-se nos últimos meses, com a descoberta de factos novos que levaram ao alargamento da investigação. O jornal escreve que a investigação está a ser levada a cabo pela PJ por suspeitas de prática de crimes de tráfico de influências e corrupção na tentativa de privatização da TAP. O empresário brasileiro-colombiano Germán Efromovich foi o único candidato.

A Procuradoria afirmou ao jornal que "as investigações em curso estão em segredo de justiça".

Segundo o Público, foi uma denúncia anónima que desencadeou a investigação sobre a gestão da TAP. Conforme adianta o jornal, a denúncia era vasta e prendia-se também com a gestão da operadora de handling Groundforce e com as relações com o antigo acionista Globalia, que entrou em conflito com a TAP.

Centrava-se ainda na aquisição da unidade de manutenção no Brasil à já falida companhia brasileira Varig, em 2005.

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?