Pescador morre em naufrágio ao largo de Aveiro

Barco de pesca Draco naufragou entre Leixões e Aveiro. Seis tripulantes foram resgatados, um morreu

O tripulante de uma embarcação de pesca morreu esta sexta-feira de madrugada, na sequência de uma paragem cardiorrespiratória, depois do naufrágio do Draco, pelas 4.30, a 30 milhas náuticas (55,6 Km) da costa entre Leixões e Aveiro.

Segundo um comunicado da Marinha, cujo Centro de Coordenação de Busca e Salvamento coordenou a operação de busca e salvamento, seis dos tripulantes foram resgatados pelo navio marcante Wec Van Gogh, que se encontrava a navegar nas proximidades, e um sétimo tripulante foi resgatado pelo helicóptero EH-101 da Força Aérea Portuguesa.

Este tripulante foi transportado para o aeródromo de Ovar, onde veio a ser declarado o óbito.

De acordo com as informações prestadas pela Marinha, o Wec Van Gogh vai aproximar-se das imediações do porto de Leixões onde "os náufragos serão transportados para terra por uma embarcação da estação salva-vidas de Leixões".

Os pescadores naufragados são das localidades da Murtosa, Costa Nova (Ílhavo), Albergaria-a-Velha e Leixões.

A Marinha refere que foi já efetuado aviso à navegação devido ao afundamento da embarcação que ainda poderá constituir um perigo para a navegação.

Ler mais

Exclusivos

Ricardo Paes Mamede

DN+ Queremos mesmo pagar às pessoas para se reproduzirem?

De acordo com os dados do Banco Mundial, Portugal apresentava em 2016 a sexta taxa de fertilidade mais baixa do mundo. As previsões do INE apontam para que a população do país se reduza em mais de 2,5 milhões de habitantes até 2080, caso as tendências recentes se mantenham. Segundo os dados da OCDE, entre os países com economias mais avançadas Portugal é dos que gastam menos com políticas de apoio à família. Face a estes dados, a conclusão parece óbvia: é preciso que o Estado dê mais incentivos financeiros aos portugueses em idade reprodutiva para que tenham mais filhos.