Oferta de manuais escolares no próximo vai ter sistema de vouchers

Promessa foi feita pelo Ministério da Educação a um grupo de pequenos livreiros após reunião

A oferta de manuais escolares no próximo ano letivo vai ser feita através de um sistema de vouchers entregues aos pais, segundo promessa deixada esta segunda-feira pelo Ministério da Educação a um grupo de pequenos livreiros.

"Ficámos satisfeitos porque concordaram com a nossa proposta, de um sistema de vouchers para os pais, que podem escolher a livraria que quiserem. Foram ao encontro das nossas aspirações", disse à Lusa José Augusto Baia, da livraria/papelaria Saturno, de Oliveira do Bairro, após uma reunião no gabinete da secretária de Estado Adjunta e da Educação com o grupo de trabalho sobre a gratuitidade dos manuais escolares.

Os pequenos livreiros queixam-se de que a compra de grandes lotes dos manuais escolares oferecidos pelo Estado deixa de fora o comércio local, e dizem que muitas livrarias já fecharam por esse motivo.

"Já fecharam muitas livrarias, pessoalmente sei de quatro ou cinco", disse à Lusa José Augusto Baia, o porta-voz do pequeno grupo (seis livreiros) que hoje foi recebido.

José Augusto Baia disse que ele e outros livreiros começaram a temer pelo negócio quando foi aprovada a gratuitidade dos manuais para o primeiro ano do primeiro ciclo, com os agrupamentos escolares a adjudicarem o fornecimento apenas a uma empresa, deixando todos os outros de fora.

"A nossa luta começou em dezembro de 2016", disse o livreiro, acrescentando que estiveram seis representantes de livreiros mas que a decisão vai beneficiar milhares de livreiros de todo o país.

Ler mais

Exclusivos