Pena suspensa de prisão para casal apanhado a conduzir bêbado com filhos

As crianças de cinco e 17 meses e de quatro e oito anos viajavam no banco traseiro do carro conduzido pela mãe, que acusou uma taxa de 2,27 gramas de álcool no sangue.

O Tribunal de Ílhavo condenou hoje a penas de quatro e seis meses de prisão, com pena suspensa por um ano, o casal apanhado a conduzir embriagado com os quatro filhos menores num dos carros.

O casal, de 30 anos, foi detido na madrugada de 06 de dezembro de 2014, cerca das 02:00, por condução sob o efeito de álcool, na rua do Cebecinho, em Ílhavo, no distrito de Aveiro.

As crianças de cinco e 17 meses e de quatro e oito anos viajavam no banco traseiro do carro conduzido pela mãe, que acusou uma taxa de 2,27 gramas de álcool no sangue. O pai das crianças, que conduzia outra viatura, acusou 1,40 gramas de álcool no sangue.

Apesar de ter sido intercetado com a taxa de álcool mais baixa, o progenitor apanhou a pena mais gravosa, por ser reincidente neste tipo de situações, tendo já sido apanhado quatro vezes a conduzir alcoolizado.

Os dois membros do casal terão de frequentar uma consulta de despiste de eventual dependência de bebidas alcoólicas e consequente tratamento e ficam ainda inibidos de conduzir por um período de um ano, para ele, e oito meses, para ela.

Durante o julgamento, os dois arguidos confessaram os factos descritos na acusação deduzida pelo Ministério Público e mostraram arrependimento.

O relatório social, realizado a pedido dos arguidos, revela desentendimentos frequentes do casal, com acusações mútuas sobre o consumo de álcool em excesso.

A família já estava sinalizada desde julho do ano passado pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Aveiro, tendo sido aberto um processo de promoção e proteção que foi entregue em novembro, no Tribunal de Família e Menores da Comarca de Aveiro.

No seguimento deste caso, o tribunal ordenou que as crianças fossem institucionalizadas, sendo esta medida revista de três em três meses.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.