Pediatras alertam para "rotura" da Urgência Pediátrica do Hospital de Évora

Há falta de médicos especialistas e verifica-se a desadequação das instalações de serviço, denunciam os pediatras

Os pediatras do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) alertaram hoje para o risco de rotura da Urgência Pediátrica da unidade, devido à falta de médicos especialistas, e para a desadequação das instalações do serviço.

Os alertas dos clínicos constam de uma tomada de posição, datada de sexta-feira e ao qual a agência Lusa teve hoje acesso, enviada para o conselho de administração do HESE, Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, Ordem dos Médicos, Sindicato Independente dos Médicos e Federação Nacional dos Médicos.

O diretor do Serviço de Pediatria do HESE, Hélder Gonçalves, disse hoje à Lusa que também subscreveu o documento na qualidade de médico.

"Dos 22 pediatras que integram o serviço, o documento foi assinado por 21. Só não assinaram todos" porque o pediatra que falta "está de baixa", explicou.

No documento, intitulado "Rotura no Serviço de Urgência de Pediatria do HESE", pode ler-se, os clínicos expressam o seu "descontentamento com as condições de trabalho e de assistência que são atualmente praticadas no Serviço de Urgência Pediátrica" do hospital.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.