PCP: "Há uma outra solução governativa"

Comunistas deixaram mensagem a Cavaco de que não vale a pena indigitar Passos. Mas nada disseram sobre acordo à esquerda

Jerónimo de Sousa saiu esta quarta-feira de manhã a dizer que o PS tem condições para governar e que o Presidente da República não tem de perder mais tempo a indigitar um governo PSD/CDS que não tem maioria. Sem responder a perguntas, o secretário-geral do PCP nada disse sobre um eventual acordo com os socialistas.

"Há uma maioria de deputados que constituem condição bastante para a formação de um governo de iniciativa do PS que permita a apresentação do programa, a sua entrada em funções e a adoção de uma política com uma solução duradoura", explicou Jerónimo

Sublinhando que o PCP transmitiu a Cavaco Silva que a atual coligação de direita "foi derrotada ficando em minoria", o que impede "o PSD e CDS de formar governo", o líder comunista sublinhou que "caso isto aconteça e seja presente um programa do PSD e CDS, apresentaremos uma moção de rejeição". Para o PCP, "PSD e CDS não reúnem condições para que Passos Coelho possa ser indigitado como primeiro-ministro", voltando depois a dizer o que disseram ontem António Costa (PS) e Catarina Martins (BE): "A acontecer", essa indigitação do ainda primeiro-ministro "será uma manifesta perda de tempo".

Depois, a delegação comunista deixou Belém sem dizer nada sobre eventuais acordos à esquerda. "Não queremos dizer nem mais nem menos do que dissemos ao sr. Presidente da República."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.