PCP defende aposta nos transportes públicos para reduzir uso do carro próprio

Eurodeputado João Pimenta Lopes criticou desinvestimento nos transportes públicos e pediu alternativas para se deixar de usar o carro

O desinvestimento nos transportes públicos foi a principal tónica do discurso do eurodeputado do PCP João Pimenta Lopes, no ciclo de conferências que assinala os 153 anos do Diário de Notícias. "As respostas para a mobilidade passam por uma política de transportes públicos que têm sido descapitalizados", referiu.

O político deu como exemplo a Linha de Cascais, há anos à espera de ser reabilitada, mas também do reforço na circulação do metro de Lisboa. Falando da grande via de ligação a Lisboa, a A5, João Pimenta Lopes pediu a criação de um eixo especial de transporte público.

"A malha urbana é muito dispersa e sabemos que não é possível ter um transporte público à porta, por isso, temos que garantir que haja local para deixar o carro junto dos transportes e de forma gratuita para que os usa", defendeu. Acrescentou que em vez de se discutir o alargamento da linha de metro de Lisboa, se deve assegurar o funcionamento a tempo e horas da rede que já existe.

"Naturalmente será sempre difícil competir com a facilidade de uma viatura chegar aos sítios mais rapidamente que os transportes, mesmo em hora de ponta. Temos que nos questionar como é possível reduzir a duração do tempo de viagem dos transportes públicos", desafiou.

Considerando que este desafio necessita de investimento nos transportes públicos, investimento esse que deve ser público: "Os transportes são um setor estratégico e devem estar sob gestão pública."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.