Passos afina com Mitsotakis visão que supere "insuficiências" de Costa e Tsipras

Líder do PSD diz ser "muito útil" que a "experiência grega possa ser avaliada aos olhos dos portugueses"

O presidente do PSD, Passos Coelho, esteve esta tarde reunido cerca de meia hora com o líder da oposição grega, Kyriacos Mitsotakis, resumindo no final do encontro que "o que melhor se extrai" da conversa é que "tratando-se ambos de líderes da oposição nos cabe, tanto na Grécia como em Portugal, olhar para o futuro e apresentar uma visão de estratégia para o futuro que possa superar aquilo que são as insuficiências daquilo que são os modelos que estão a ser executados nos dois países".

Passos Coelho afirmou ainda ser "muito importante" contar com Mitsotakis, o líder do partido Nova Democracia, na Universidade de Verão do PSD, em Castelo de Vide, já que "para Portugal interessa bastante conhecer o melhor possível a história que se veio desenvolvendo na Grécia, não apenas no passado mais remoto, mas também naquilo que está neste momento a decorrer em termos de ajustamento económico-social e orçamental".

O antigo primeiro-ministro acrescentou ainda ser "muito útil que a experiência grega possa também a ser avaliada aos olhos do portugueses" e confessou que trocou também "algumas impressões sobre a situação europeia e a importância que nesse contexto o Partido Popular Europeu pode ter no sentido de responder ao novo contexto das circunstâncias que decorrem da saída do Reino Unido na União Europeia".

Passos conversou ainda com Mitsotakis sobre "as reformas que é preciso fazer para que quer a União Económica e Monetária, quer a UE no seu conjunto, possa vencer estes populismo emergentes e ao mesmo tempo satisfazer aquilo que são as expetativas dos cidadãos europeus."

Passos disse ainda que o PPE é "uma plataforma de partidos que oferecem nesta altura uma visão mais inconformada e que melhor pode liderar essa reforma europeia que é tão necessária para superar bem as dificuldades sobretudo políticas que decorreram da saída do Reino Unido União Europeia."

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

João Gobern

Tirar a nódoa

São poucas as "fugas", poucos os desvios à honestidade intelectual que irritem mais do que a apropriação do alheio em conluio com a apresentação do mesmo com outra "assinatura". É vulgarmente referido como plágio e, em muitos casos, serve para disfarçar a preguiça, para fintar a falta de inspiração (ou "bloqueio", se preferirem), para funcionar como via rápida para um destino em que parece não importar o património alheio. No meio jornalístico, tive a sorte de me deparar com poucos casos dessa prática repulsiva - e alguns deles até apresentavam atenuantes profundas. Mas também tive o azar de me cruzar, por alguns meses, tempo ainda assim demasiado, com um diretor que tinha amealhado créditos ao publicar como sua uma tese universitária, revertido para (longo) artigo de jornal. A tese e a história "passaram", o diretor foi ficando. Até hoje, porque muitos desconhecem essa nódoa e outros preferiram olhar para o lado enquanto o promoviam.