Ordem dos Dentistas propõe criação de estágio

A Ordem dos Médicos Dentistas propôs ao Ministério da Saúde a criação de um estágio clínico. A proposta pretende alterar as regras atuais, que permitem que após a conclusão do mestrado integrado (5 anos) estes possam começar a trabalhar imediatamente.

A atual situação é consequência da adopção das regras de Bolonha que acabaram com o 6º ano do curso de Medicina Dentária, aponta o bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, Orlando Monteiro da Silva, revela que "a proposta entregue ao executivo reflete o crescente consenso dentro da profissão e das faculdades de medicina dentária de que a formação deve ser alargada".

"Por isso propomos a criação de um estágio clínico profissional, remunerado, com carácter de internato, que poderá permitir um período profissionalizante de acesso ao mercado, através de formação acompanhada e de contacto direto com pacientes". O documento apresentado ao Governo revela ainda dados atualizados sobre os profissionais da medicina dentária a exercer em Portugal.

Na Ordem estão registados 7419 médicos dentistas de 33 nacionalidades, sendo que quase metade destes profissionais está concentrada nos distritos de Lisboa e do Porto. Há 20 anos, estavam registados na Ordem dos Médicos Dentistas 761 profissionais.

Orlando Monteiro da Silva refere que "pelas previsões da Ordem, este número vai aumentar ainda mais podendo chegar aos 11 mil e 500 médicos dentistas, dentro de 4 anos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...