O navio até "mexeu um pouco", mas vai passar mais uma noite encalhado

Operações para remover embarcação encalhada no Bugio suspensas

As operações para retirar o navio encalhado junto ao Bugio foram hoje suspensas, não tendo sido possível retirar o cargueiro, disse o porta-voz da Autoridade Marítima Nacional, adiantando que os trabalhos vão ser retomados durante a madrugada.

"A situação não teve evolução. O navio mexeu um pouco com os trabalhos efetuados pelos dois rebocadores, mas continua encalhado", disse à Lusa o comandante Fernando Pereira da Fonseca.

De acordo com o porta-voz da Autoridade Marítima, vão estar dois rebocadores a trabalhar durante o próximo período de preia-mar, que vai ocorrer na madrugada de quinta-feira, entre as 06:00 e as 08:00.

"Estavam dois rebocadoresa com o cabo passado, era algo que se queria manter porque colocar um cabo são quase duas horas de trabalho, mas um dos rebocadores teve que abandonar o local, por não se sentir confortável naquela posição", afirmou.

O comandante Fernando Pereira da Fonseca explicou que um dos problemas é a distância a que os reboques são obrigados a operar, cerca de 700 metros do navio.

"Pelas 04:00, vão passar de novo o cabo e vão tentar mexer o navio depois no período de preia-mar. A tripulação continua a bordo, está bem e a ser monitorizada", explicou.

O navio "Betanzos", com bandeira espanhola, está encalhado desde as 01:00 de terça-feira junto ao Bugio, na foz do rio Tejo, ao largo de Lisboa, com 10 tripulantes a bordo, que estão bem de saúde.

O navio tinha saído do terminal do Beato, em Lisboa, rumo a Casablanca, Marrocos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.