Retomadas operações para desencalhar navio espanhol

Operações foram retomadas hoje ao lado do Bugio, na foz do Tejo.

As operações para desencalhar o navio espanhol "Betanzos" ao largo do Bugio, na foz do Tejo, foram retomadas por volta das 09:00 de hoje, disse à Lusa o porta-voz da Autoridade Marítima Nacional, Fernando Pereira da Fonseca.

De acordo com o responsável, as operações começaram por volta das 09:00. Fernando Pereira da Fonseca referiu que seis elementos da empresa Smit que vai colocar os cabos a bordo [...] e quatro elementos da tripulação do navio chegaram por volta das 08:30 à Base Aérea do Montijo, sendo que depois foi usado um helicóptero da Força Aérea para os levar a bordo do navio".

De acordo com o porta-voz da Autoridade Marítima, a ação é coordenada pelo capitão do Porto de Lisboa, em articulação com o Centro de Operações Marítimas (COMAR).

"Depois, a partir do navio vão começar os trabalhos de preparação para receber o cabo do reboque do rebocador", disse.

No que diz respeito à agitação marítima, o comandante indicou que o estado do mar melhorou, mas a ondulação "ainda tem muita energia".

De acordo com o porta-voz da Autoridade Marítima, a bordo do navio estão 130 toneladas de combustível e 20 toneladas de resíduos oleosos

"É uma situação que vai sendo avaliada", disse.

O navio de bandeira espanhola "Betanzos", com 10 tripulantes a bordo, encalhou na madrugada de terça-feira, cerca das 01:00, à saída da barra de Lisboa, após uma falha total de energia e da tentativa de fundear.

De acordo com o porta-voz da Autoridade Marítima, a bordo do navio estão 130 toneladas de combustível e 20 toneladas de resíduos oleosos.

Apesar do mau tempo, o risco de derrame, segundo o porta-voz, existe, mas é baixo, não havendo danos estruturais na embarcação.

Os 14 elementos retirados - 10 da tripulação e quatro elementos técnicos - foram resgatados por um helicóptero da Força Aérea Portuguesa

As tentativas para desencalhar foram realizadas logo na terça-feira e desde então foram infrutíferas.

A operação de resgate da tripulação do navio encalhado junto ao Bugio, na foz do rio Tejo, foi concluída durante a tarde de quinta-feira, por um helicóptero da Força Aérea Portuguesa.

Os 14 elementos retirados - 10 da tripulação e quatro elementos técnicos - foram resgatados por um helicóptero da Força Aérea Portuguesa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).