Ainda só foram ouvidos três arguidos. Interrogatórios prosseguem sexta-feira

Arguidos da Operação Lex que se encontram detidos estão a ser presentes a juiz no Supremo Tribunal de Justiça de Lisboa

O interrogatório dos cinco arguidos detidos na sequência da 'Operação Lex' vai prosseguir na sexta-feira de manhã, depois de ter terminado hoje cerca das 21:30, com três audições.

Os interrogatórios tiveram início cerca das 10:00 e o primeiro interrogatório foi do arguido Octávio Correia e durou cerca de quatro horas, segundo informações recolhidas pela Lusa.

O advogado deste arguido, Paulo Graça, disse à saída que a audição tinha "corrido bem".

Os dois outros detidos interrogados hoje estiveram a ser ouvidos cerca de três horas cada.

Após os interrogatórios de hoje, os quatro arguidos homens regressaram aos calabouços do Estabelecimento Prisional anexo à Polícia Judiciária e a detida Rita Oliveira Figueira à prisão feminina de Tires.

Os cinco detidos voltam sexta-feira às instalações do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), no Terreiro do Paço, em Lisboa, para o interrogatório dos dois que faltam, após o que serão sujeitos às medidas de coação decididas pelo juiz.

Os interrogatórios aos cinco arguidos detidos na 'Operação Lex' decorreram desde hoje de manhã no STJ e Rita Figueira foi dispensada da parte da tarde para ser inquirida na sexta-feira de manhã, segundo o seu advogado.

Depois da hora de almoço, António Pinto Pereira, advogado de Rita Figueira, disse aos jornalistas que estava tudo a correr bem, mas que era uma inquirição longa, tendo sido feito um reagendamento dos trabalhos, voltando a sua cliente na sexta-feira às 10:00.

A 'operação Lex', que tem 12 arguidos, incluindo cinco detidos, investiga crimes de branqueamento de capitais, fraude fiscal, tráfico de influências, corrupção/recebimento indevido de vantagens.

Entre os arguidos estão os juízes desembargadores Rui Rangel e Fátima Galante, Rita Figueira, o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e o vice-presidente do clube Fernando Tavares.

Os interrogatórios judiciais dos cinco detidos começaram na quarta-feira ao início da noite no Supremo Tribunal de Justiça, onde o processo corre termos, dado que envolve dois juízes desembargadores, e é dirigido pelo juiz conselheiro Pires da Graça.

Na operação, desencadeada na terça-feira, foram realizadas 33 buscas, das quais 20 domiciliárias, nomeadamente ao Sport Lisboa e Benfica, à casa de Luís Filipe Vieira e dos dois juízes e a três escritórios de advogados.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.