"Ondas de 11 metros". Dez distritos sob 'Aviso Laranja' 

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou hoje sob 'Aviso Laranja' 10 distritos de Portugal continental devido à previsão para sexta-feira de forte ondulação, que pode atingir os 11 metros de altura.

Segundo o IPMA, os distritos do Porto, Faro, Setúbal, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Beja, Aveiro, Coimbra e Braga vão estar sob 'Aviso Laranja' entre as 05:59 e as 23:59 de sexta-feira.

Durante aquele período, o IPMA prevê "ondas de noroeste com altura significativa de entre cinco e seis metros, sendo a altura máxima entre nove e 11 metros".

O 'Aviso Laranja', o segundo mais grave de uma escala de quatro, é emitido devido a uma situação meteorológica de risco moderado e elevado e é aconselhado às pessoas para se manterem ao corrente da evolução das condições meteorológicas e seguir as orientações da Autoridade Nacional da Proteção Civil.

Na terça-feira, a Autoridade Marítima Nacional alertou a comunidade marítima e a população em geral para a "previsão de ventos fortes e agravamento do estado do mar", aconselhando a adoção de medidas de segurança e de prevenção junto ao mar.

"Estas condições terão maior incidência na costa ocidental a partir do final do dia de quarta-feira, atingindo o seu pico máximo na sexta-feira", acrescentou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".