Oitava greve fecha portas do Metro a partir das 23h15 de domingo

A circulação no metropolitano de Lisboa estará suspensa entre as 23:15 de domingo e as 06:30 de terça-feira.

O Metropolitano de Lisboa vai encerrar domingo às 23:15 devido à greve que decorre na segunda-feira, a oitava realizada este ano, informou hoje a empresa.

De acordo com a mesma fonte, a circulação no metropolitano estará suspensa entre as 23:15 de domingo e as 06:30 de terça-feira.

A paralisação de segunda-feira será a oitava realizada pelos trabalhadores do Metro em 2014, considerando greves totais e greves parciais, realçou.

Devido à greve, a rodoviária Carris vai reforçar o número de autocarros nos trajetos servidos pelas carreiras 726 (Sapadores-Pontinha), 736 (Cais do Sodré-Odivelas), 744 (Marquês de Pombal-Moscavide) e 746 (Marquês de Pombal-Estação da Damaia), que coincidem com eixos servidos pelo metro, acrescentou o Metropolitano, em comunicado.

A greve foi convocada por várias organizações sindicais, nomeadamente a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).

De acordo com a sindicalista Anabela Carvalheira, a greve foi convocada "em defesa do serviço público da empresa" e pela "resolução dos diversos problemas sociolaborais existentes".

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.