Jerónimo de Sousa quer manuais escolares gratuitos até ao 9.º ano

Secretário-geral do PCP diz que quer ir "tão longe quanto possível"

O secretário-geral do PCP propôs hoje a extensão da gratuitidade dos manuais escolares até ao 9.º ano, prometendo bater-se para ir "tão longe quanto possível" nas negociações do Orçamento do Estado para 2018 (OE2018) com o Governo socialista.

"Temos agora de assegurar que a medida abranja a escolaridade obrigatória. O OE2018 é uma oportunidade para fazer esse caminho, alargando ao segundo e terceiro ciclos [5.º e 6.º e 7.º, 8.º e 9.º anos, respetivamente], levando a gratuitidade dos manuais escolares tão longe quanto possível. Uma oportunidade que não vamos desperdiçar particularmente nesta face de discussão do OE", garantiu Jerónimo de Sousa.

O líder da Coligação Democrática Unitária (CDU), juntando comunistas ecologistas e independentes, discursava num almoço-comício, em Beja, no âmbito da campanha para as eleições autárquicas de 01 de outubro, e lembrou os benefícios para o povo e o país da ação do PCP e de "Os Verdes", pedindo mais votos e mandatos em 01 de outubro próximo.

"São resultado da nossa intervenção e não dádiva do Governo do PS que noutras circunstâncias nunca adotaria, como nunca adotou, nem no seu programa de partido, nem de Governo. Se avançou e nos acompanhou, foi por nossa iniciativa, proposta e até teimosia para conseguir mais direitos e rendimentos para os portugueses", reclamou Jerónimo de Sousa.

O líder comunista citara como exemplos "o aumento extraordinário das pensões de reforma, abrangendo mais de dois milhões de reformados, com pensões até 631 euros" e "a aplicação da gratuitidade dos manuais escolares a todos os alunos do primeiro ciclo, abrangendo 370 mil crianças".

"A gratuitidade dos manuais escolares, para todos os alunos do 1.º ciclo do ensino básico, é uma medida de grande alcance. Pelo que significa de afirmação da natureza pública, gratuita e universal do ensino. Pelo que se traduz de apoio às famílias tendo em conta o peso nos seus orçamentos", salientou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.