"O Governo perdeu há muito a sua legitimidade"

O eurodeputado do PCP e candidato do partido à Câmara de Lisboa defendeu hoje que o protesto "Que se lixe a `troika"" que decorre em todo o país "é mais uma afirmação da exigência" da demissão do Governo.

"Estamos perante uma torrente que cresce, que engrossa, e que vai continuar nos próximos dias, com essa exigência, dar a palavra ao povo perante um Governo que há muito tempo perdeu a sua legitimidade", afirmou o comunista, em declarações à Agência Lusa.

Acompanhado pelos deputados do PCP Miguel Tiago e Rita Rato e outros militantes comunistas a descer a Avenida da Liberdade na manifestação de Lisboa, João Ferreira disse ter a certeza de que o protesto "terá consequências" e observou que "não é por acaso que se volta a entoar a "Grândola, Vila Morena", nas ruas de Lisboa.

"É porque de facto, os valores de Abril estão mais presentes e atuantes que nunca", considerou, reforçando que "é tempo de dar a palavra ao povo".

O movimento "Que se lixe a 'troika'" convocou para hoje manifestações em mais de 40 cidades, em Portugal e no estrangeiro, para pedir o fim das políticas de austeridade.

Com o lema "Que se lixe a 'troika', o povo é quem mais ordena", a manifestação de Lisboa, que conta com o apoio da CGTP, coincide com a presença da delegação da 'troika' (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), na capital, para fazer a sétima avaliação do memorando de entendimento.

A PSP já anunciou que o policiamento para as manifestações vai ser "o adequado e necessário", para garantir a segurança.

As manifestações foram antecedidas por diversos protestos, junto de governantes, quase sempre ao som de "Grândola, Vila Morena".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".