O dia em que o PS fez um "25 de abril" com a ajuda do PSD

Numa terra onde o PS nunca ganhou eleições, a noite de domingo foi de mudança.

Num cartaz à entrada da vila, o candidato do PS que no domingo ganhou as eleições autárquicas mostra o caminho: "melhor avançar", feito slogan de campanha, resumida a meia dúzia de outdoors, um carro de som, um jantar de apoio e os panfletos do costume. Mas ali, naquele concelho a norte do distrito de Leiria, desta vez nada foi como de costume. O PS ganhou as eleições, facto inédito na história do poder local. Não admira por isso que entre os apoiantes de António José Domingues (que todos tratam por Tozé) o feito seja considerado em larga escala: "isto aqui foi o nosso 25 de Abril!"

Num distrito que até agora era um verdadeiro bastião laranja (suplantando até Viseu, por vezes, em legislativas, mesmo que isso nem sempre chegue ao palco mediático), o concelho de Ansião foi a surpresa da noite eleitoral. Mas apenas para quem não acompanhou de perto os últimos meses. Tozé Domingues, contabilista, 53 anos, socialista e natural da freguesia de Santiago da Guarda, fez todo um percurso de derrotas eleitorais até alcançar a vitória nestas autárquicas. Em 2009, perdera a Câmara "por muitos votos", quando se candidatou contra Rui Rocha, o atual presidente, também líder da distrital de Leiria do PSD. Só que, contra todas as expetativas,

Rocha anunciou cedo que não pretendia candidatar-se ao terceiro mandato em Ansião, abrindo caminho ao regresso de Fernando Marques, um dos históricos autarcas reaparecidos . Numa terra onde o PSD sempre ganhou tudo, parecia fácil o regresso à Câmara, depois de uma temporada como deputado na Assembleia da República. Só que o eleitorado trocou-lhe as voltas. À semelhança do que aconteceu por todo o país (exceção de Oeiras) os "dinossauros" perderam.

A revolução em marcha

Pelas ruas da vila, neste outubro comparado a abril, os poucos habitantes que se demoram nos cafés depois da bica do almoço são unânimes na análise política: "o Fernando Marques já tinha lá estado na Câmara 20 anos, já teve o tempo dele. Agora vamos dar oportunidade ao Tozé".

A vila é pequena, o concelho tem 11.670 eleitores inscritos, repartidos entre seis freguesias) e uma abstenção inferior à média nacional. No domingo passado, 63% da população (envelhecida, como em todo o interior) foi às urnas. O candidato do PS derrotou o do PSD por cerca de 600 votos. CDS e CDU também se candidatavam, mas a residual votação não chegou para eleger ninguém.

De modo que era um combate entre dois homens que estava em causa, um com vontade de fazer a "(r)evolução em marcha" - como anunciavam as camisolas da campanha, com o símbolo do PS a branco, sobre um fundo azul; outro disposto a voltar. Mas o mundo mudou, entretanto, como aponta Augusto Trino, natural da freguesia de Alvorge, enquanto reparte as cartas à mesa de um café no centro da vila. "Isto já era desejado há muito tempo, agora foi como se aqui aparecesse D. Sebastião. Também lhe digo que, se o candidato do PSD fosse o atual presidente, não era desta maneira".

E essa é uma certeza que nem o vencedor ignora. Tozé Domingues encontra-se com o DN a seguir ao almoço tardio. Dormiu duas horas, ainda mal acredita que dentro de poucas semanas será ele o presidente da Câmara. Mas naquela manhã já se encontrou com o autarca em funções e agendaram a tomada de posse. No dia anterior, foi o próprio Rui Rocha (companheiro benfiquista) quem lhe ligou a sugerir o resultado final, quando conhecida a votação da mesa de Ameixeira, na freguesia de Chão de Couce. "Normalmente quem ganha ali, naquela mesa de voto, ganha as eleições. E eu ganhei. Mesmo assim preferi esperar pelos resultados todos", recorda o vencedor, ele que foi o candidato improvável do PS, substituindo na corrida Teresa Fernandes, que por razões de saúde se afastou. "Em fevereiro, percebendo que o candidato do PSD era o Fernando Marques, fiz uma reflexão e admiti que podíamos ter finalmente alguma hipótese. Se fosse contra o Rui Rocha, não teria sido assim. Ele fez um excelente mandato", admite o sucessor.

Ler mais

Exclusivos