Nuno Melo anuncia decisão sobre corrida à liderança do partido na quinta-feira

Eurodeputado fará uma declaração na sede nacional do CDS às 12:00

O vice-presidente do CDS-PP Nuno Melo anuncia na quinta-feira a decisão sobre uma candidatura à liderança do partido, divulgou fonte oficial centrista.

Nuno Melo fará uma declaração na sede nacional do CDS, em Lisboa, pelas 12:00, sobre o 26.º Congresso, que se realizará nos dias 12 e 13 de março e será eletivo da liderança dos centristas.

O vice-presidente centrista e eurodeputado assumiu que estava num processo de reflexão sobre uma candidatura à presidência do partido, após Paulo Portas ter anunciado que não se recandidatava, no final do ano.

A também vice-presidente do partido Assunção Cristas deverá esclarecer uma eventual candidatura à liderança nos próximos dias, de acordo com fontes ouvidas pela Lusa.

Em maio do ano passado, a então ministra da Agricultura deixou nota da sua disponibilidade para liderar os centristas, numa entrevista ao jornal 'online' Observador: "Para mim foi claro que estaria ao serviço do partido para aquilo que fosse necessário. Se for necessária para isso [liderança], também estarei", afirmou.

Três dias depois de Paulo Portas anunciar que não se recandidatava, Nuno Melo referiu-se às muitas "mensagens de incentivo e apoio recebidas" a "propósito do momento que se vive no CDS", numa mensagem deixada na sua página da rede social Facebook, na qual acrescentava que, independentemente daquela que viesse a ser a sua decisão, se sentia "profundamente grato e honrado".

Paulo Portas anunciou no dia 28 de dezembro perante a comissão política do partido que não se recandidataria à liderança. Aos jornalistas, nessa noite, manifestou-se confiante na nova geração a quem vai passar o testemunho, prometendo isenção na escolha do seu sucessor e revelando que sairia mesmo que o Governo com o PSD tivesse continuado em funções.

"O partido fará com total isenção da minha parte uma escolha de futuro, que deve ter a toda liberdade para se afirmar", declarou, manifestando "uma grande nova esperança na nova geração do CDS", à qual "chegou o tempo de, num ciclo político novo, dar grandes responsabilidades".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.