Número de abonos de família desce em julho e chega a mais de 1,12 milhões de crianças

Este número representa uma quebra de 2,6% em comparação com o mês de junho, mas traz um aumento de 4,4% em relação ao período homólogo de 2016

O número de abonos de família atribuídos pela Segurança Social voltou a cair no mês de julho, com menos 874 face a junho e menos 17.095 face ao período homólogo, chegando agora a mais de 1,12 milhões de menores.

De acordo com os dados mais recentes do Instituto de Segurança Social (ISS), divulgados esta segunda-feira, em julho havia 1.121.465 crianças ou jovens a receber este apoio, menos 17.095 do que no período homólogo do ano passado e menos 874 do que junho.

Relativamente à distribuição geográfica, é possível constatar que o abono de família é maioritariamente pago nos distritos de Lisboa (230.100), Porto (221.429) e Braga (102.313).

Já no que diz respeito às prestações por parentalidade, a síntese de informação estatística da Segurança Social, elaborada pelo Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP), mostra que, em julho, foram atribuídas 37.816 prestações.

Este número representa uma quebra de 2,6% em comparação com o mês de junho, mas traz, por outro lado, um aumento de 4,4% quando a análise é feita tendo em conta o período homólogo de 2016.

"Para os indivíduos do sexo feminino, foram processadas 26.286 prestações, o que revelou uma diminuição de 1,8% quando comparado com junho de 2017 e uma subida de 6,3% relativamente ao período homólogo do ano passado.

No que diz respeito aos indivíduos do sexo masculino, foram contabilizados 11.530 beneficiários, resultando numa redução de 4,4% face ao mês anterior e um acréscimo de 0,2% em termos homólogos", lê-se na síntese informativa.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".