Nove em cada 10 pessoas respiram ar contaminado

Em 2016, o ar poluído no exterior causou a morte a 4,2 milhões de pessoas e o do interior provocou 3,8 milhões de mortes

Nove em cada dez pessoas respiram ar poluído ou contaminado a nível mundial. De acordo com os dados revelados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de sete milhões de pessoas morrem anualmente por causas relacionadas com a poluição e os níveis de contaminação permanecem "perigosamente elevados" em várias regiões do globo.

Segundo o mais recente relatório da OMS, em 2016 o ar poluído no exterior causou a morte a 4,2 milhões de pessoas. A poluição de interiores, relacionada, por exemplo, com o uso de tecnologia ou de fontes de energia poluentes na cozinha, terá causado 3,8 milhões de mortes. Ásia, África e Médio Oriente registam a maior percentagem de mortalidade causada pela poluição, que apresenta níveis cinco vezes superiores ao estabelecido pela OMS.

Em causa está a poluição com partículas minúsculas que entram profundamente nos pulmões e no sistema cardiovascular, causando doenças potencialmente mortíferas como derrames cerebrais, ataques de coração, obstruções pulmonares, cancro do pulmão e infeções respiratórias.

Em Portugal, há 15 locais (ver infografia) que ultrapassam o nível máximo de partículas finas inaláveis (PM2,5), que a Organização Mundial da Saúde determina não dever ser superior a dez microgramas por metro cúbico de ar. O máximo registado em Portugal foi em Estarreja (15), seguindo-se Almada (14), Cascais (14) e Lisboa (13). O Porto fica abaixo do limite e Guimarães tem o valor mais baixo da lista: 3.

A cidade mais poluída do mundo, Muzaffarpur, na Índia, registou 197 microgramas por metro cúbico - mas o valor está a ser revisto.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...